sexta-feira, 2 de agosto de 2013

Eu ainda sou do tempo


... em que o bullying não existia, ou então era só o tempo em que não éramos mimados, e dar uma palmada não era caso de processo jurídico. Belo tempo. Apesar de tudo, sobrevivemos!

9 comentários:

Pi Maria disse...

Engraçado dizeres isso, eu sou mais velha que tu e posso dizer que sim, claramente no meu tempo existia bullying, talvez não tivesse esse nome todo pomposo, mas que muitos miúdos eram tratados abaixo de cão e espancados lá isso eram. Mas pronto, coitados, talvez fossem mimados...

C.C. disse...

Desde sempre que bullying. O que não existia o nome pomposo americanado, e esta imagem que os MEDIA tentam passar do assunto.
Sempre existiu e não vai deixar de existir...
Eu até explicava melhor o meu ponto de vista, mas como não quero fazer uma dissertação sobre o assunto, posso dizer-te que Sociologia da Educação foi umas das disciplinas que tive no curso até agora que me fez olhar com outros olhos para este fenómeno.

xoxo,


C.C.

Madalena disse...

no meu tempo já existia bullying, sei de muitos casos de quando eu era mais nova... a diferença é que agora dão mais ênfase a isso, para além disso chamar um nome (menos bom) a uma pessoa qualquer, mesmo que seja só uma vez já é bullying!

Mel Pereira disse...

Eu sou do tempo em que as crianças não eram tão "florzinhas de estufa"...

Luana disse...

Mesmo. Não entendo o que se passa nas cabeças das pessoas!

Pi Maria disse...

R:. Lá por nunca teres presenciado ou sentido na pele, isso não é argumento para partires do pressuposto que o bullying no teu tempo não existia ou que apenas é coisa de putos mimados.
Cada um tem a sua opinião lá isso é verdade, mas com todo o respeito devias era ter vergonha na cara por teres escrito este post. Basta ver as estatísticas/os estudos para perceber que o bulllying não é coisa nova, nem inventada. Há muito miúdo por aí que treme de medo sempre que tem de ir para a escola, muitos miúdos que são humilhados todos os dias simplesmente porque algum frustrado lembrou-se de embirrar com eles, muitos miúdos aliás que se suicidam por acharem que essa a única saída de tamanho sofrimento.
Se é verdade que existem crianças/adolescentes mimados e que com um simples berro/brincadeira vão logo a correr para as saias de mãe, isso não deve ser tomado como um todo e visto como regra. Bullying é violência, fisica e psicológica, um problema a ser resolvido, e não inferiorizado.
Ainda és nova, mas já tens idade suficiente para ter juízo. Só espero que os teus filhos (se tiveres) nunca sejam vítimas de bullying.

Chinesa Loira disse...

Não concordo :| Foi por não termos dado importância a essas palmadas que elas se transformaram em agressões maiores.

Cláudia disse...

e era assim que devia continuar a ser!

Olívia M. disse...

Grande verdade! Também fui desse tempo.